terça-feira, 8 de junho de 2010

Estou muito feliz



por, modestamente, dentro das minhas possibilidades (um Fiat Punto, primeiro, e um Stilo, depois) ter vindo a contribuir para a manutenção desta família, digna de um filme de Visconti (ou de Coppola), em vez de dar dinheiro para uma qualquer S.A. japonesa.

1 comentário:

Rui G disse...

Quando li acerca dessa família pensei o mesmo, no Gatopardo.